“Pois, quem é Paulo, e quem é Apolo, senão ministros pelos quais crestes, e conforme o que o SENHOR deu a cada um? – Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento”. I Corintios 3:5-7

Em 24 de junho de 1967 às 19h30min no salão alugado sito a Rua Dr. Antenor Soares Gandra, nº 1056 no Bairro da Colônia, foi constituído o Concílio examinatório para organização da Igreja Batista Memorial o Pastor Egídio Gióia. Na ocasião pregou no sermão intitulado “O que é uma Igreja” baseada no texto de Mateus 16:13-19, tendo como presidente da nova Igreja o irmão Demétrio Chepuck onde ficou a frente da Igreja até 22 de junho de 1968.

Após isto sucedeu a frente desta igreja os seguintes irmãos:

Pastor Teovils Purens 22/06/1968 – 04/04/1971
Pastor Tonmie Byron Harbin 04/04/1971 – 14/04/1973
Pastor Bruno Torelli  14/04/1973 – 03/11/1979
Pastor Edson Plaza 03/11/1979 – 08/03/1981
Pastor Jonas Silva (interino) 14/06/1981 – 12/12/1981
Pastor Luiz De Marchi 12/12/1981 – 20/03/1983
Irmão Florindo Rustici  20/03/1983 – 31/12/1984
Pastor Paul Stouffer (Interino) 31/12/1984 – 18/01/1987
Pastor Ed Renee Kivitz 18/01/1987 – 17/01/1989
Pastor Marcos Flores 17/01/1989 – 19/01/1990
Pastor Ezequiel Messias do Nascimento 19/01/1991 – 23/11/1994
Mario Augusto de Andrade (Interino) 23/11/1994 – 06/01/1996

As igrejas batistas existem, mundialmente, com o propósito principal de espalhar a Palavra de Deus entre os homens. Nada maisnatural, portanto, que também no Brasil as comunidades batistas, existentes desde 1871, também se comportem como agentes multiplicadoras do corpo de Cristo.

Foi no ano de 1902 que Jundiaí viu nascer sua Primeira Igreja Batista, no centro da cidade. Dois anos depois, Jundiaí já podia sediar a primeira reunião da União Batista Paulistana, para tratar da expansão regional, algo que não parou desde então.

No entanto, em 1966, por conta da influência do movimento pentecostal norte-americano, ocorreu a maior divisão histórica dentro da denominação batista: 52 igrejas foram desaroladas da Convenção Batista Brasileira, entre elas a Primeira Igreja da cidade.

Por causa disso, a Segunda Igreja Batista de Jundiaí, no bairro da Vila Progresso, passou a adotar o nome de Igreja Batista Boas Novas – mas não interrompeu seu processo de “espalhamento” do evangelho.

Vindo de lá, um grupo de 35 irmãos passou a se reunir semanalmente em um salão alugado na Rua Professor Antenor Soares Gandra, 1056, no bairro da Colônia. Em 24 de junho de 1967, esses irmãos se encontraram para a reunião de organização de uma nova comunidade: foi às 19h30 daquela noite, sob liderança do pastor Bruno Torelli, que foi fundada a Igreja Batista Memorial de Jundiaí.

No final de 1970, a fé daquele pequeno grupo de irmãos o motivou a assumir a primeira de dezesseis parcelas com as quais adquiriram o terreno sobre o qual a igreja ergueu seu templo definitivo. Com alegrias em meio às dificuldades, com aprendizado em meio a erros e acertos, a comunidade foi crescendo proporcionalmente às paredes sendo erguidas, no número 485 da mesma rua.

A Igreja Batista Memorial de Jundiaí entrou no século 21 com um confortável templo para 650 visitantes, um acampamento próprio na cidade de Campo Limpo Paulista e, o mais importante, centenas de famílias alcançadas pelo evangelho.

Nessa trajetória, a igreja deixou sua marca passando adiante a lição aprendida com aqueles primeiros irmãos. Algumas sementes plantadas pela IBMJ hoje são igrejas como a Igreja Batista Nova Aliança, no Parque Eloy Chaves, ou a Igreja Batista do Redentor, no Jardim Tamoio, e a Igreja Batista Vida Nova no bairro Morada das Vinhas, onde ocorre também um trabalho social junto a jovens carentes.

Sob a liderança do pastor Aderson Alves Cardoso desde janeiro de 1996, a Igreja Batista Memorial de Jundiaí tem ganho almas para Cristo graças a sua dinâmica visão de equipe ministerial. Em cada um desses ministérios e pequenos grupos, seus membros podem desenvolver seus dons da forma mais apropriada. Do ministério de casais ao de jovens, à programação para crianças, a IBMJ é planejada para alcançar toda a família e, assim, ganhar Jundiaí para Cristo.

Missão

Proclamar a salvação a todos os povos e através do discipulado, integra-los na Família de Deus, equipando-os para a adoração, proclamação e serviço no Reino de Deus.
Cristo estabeleceu três grandes objetivos interdependentes para seus discípulos:
1. Preparar os apóstolos e discípulos para a missão que iriam desempenhar (Mateus 5:7; Lucas 6:20-23; Mateus 8:18-22; 10:5-42; Marcos 6:7-11; Lucas 9:1-5).
2. Proclamar a todo o povo a chegada do Reino de Deus entre os homens (Mateus 10:7).
3. Ensinar as verdades a respeito de Cristo a todas as pessoas que atendessem ao seu convite (Atos 5:42).

Visão

Ser uma referência na multiplicação do amor de DEUS e na estruturação de famílias, de acordo com os princípios bíblicos para o engrandecimento do reino de DEUS.

Valores

AMOR

A característica principal do Amor cristão deve ser a do amor Ágape que não se refere a um sentimento, mas uma ação ou comportamento. “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor.” – I Coríntios 13:13

BÍBLIA COMO REGRA DE FÉ E CONDUTA

Cremos que as Escrituras Sagradas, compreendendo o Antigo e o Novo Testamento, são inteiramente inspiradas por Deus, infalíveis na sua composição original e plenamente dignas de confiança em todas as áreas que venham se expressar sendo também a autoridade final e suprema como regra de fé, conduta e vida. Deus inspirou divinamente os autores humanos para que compusessem e registrassem Sua revelação nas palavras dos manuscritos originais.

É a base para transformação do indivíduo e da comunidade II Timóteo 3:16-17; II Pedro 1:20-21.

A Bíblia como revelação inspirada da vontade divina, cumprida e completada na vida e nos ensinamentos de Jesus Cristo é a nossa regra autorizada de fé e prática.

FAMÍLIA

A maior e mais duradoura contribuição. O mais profundo e duradouro impacto que nós podemos deixar no meio que vivemos e sociedade de forma geral será oriunda do fortalecimento de nossas próprias famílias. Portanto as famílias precisam ser amparadas, aconselhadas, acompanhadas para que sejam sólidas estáveis e equilibradas e a única maneira duradoura e efetiva de fazermos isso é dar à Palavra de Deus, seu lugar de direito no centro da família. “Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam… Herança do SENHOR são os filhos, o fruto do ventre, seu galardão. Feliz o homem que enche deles a sua aljava…” (Salmos 127:1a, 3, 5a).

DONS DADOS PELO ESPÍRITO SANTO PARA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS

I Coríntios 12:4-7 “Ora, os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo. E também há diversidade nos serviços, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade nas realizações, mas o mesmo Deus é quem opera tudo em todos. A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso.”

COMUNHÃO

I Jo 1:5:7 “E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e nele não há trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos.nas trevas, mentimos, e não praticamos a verdade; mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo pecado.”

“Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si” (Rm 14:7). Dependemos uns dos outros. A necessidade da prática da verdadeira comunhão é tão importante que, o Senhor Jesus se preocupou em deixar com seus discípulos uma das mensagens mais importantes nesse sentido. Em Sua oração sacerdotal, Ele se dirige ao Pai dizendo: “E eu lhes dei a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um” (Jo 17:17).

TESTEMUNHO

Uma pessoa com atitudes e consciência não aprovadas diante de DEUS trás consigo sentimentos de culpa que a impedirá de realizar um testemunho eficaz. Muitos crentes se calam porque não podem falar da justiça de Deus no contexto de suas vidas injustas e vis.

II Timóteo 2:15 “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. Assim estaremos confirmando o que Jesus diz sobre nós: Mateus 5:13-14. “Vós sois o sal da terra”; mas se o sal se tornar insípido, com que se há de restaurar-lhe o sabor? Para nada mais presta, senão para ser lançado fora, e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte;”

VIDA DEVOCIONAL

Evangelizar no poder do Espírito Santo utilizando a Bíblia como regra na integração e ensino das pessoas e famílias através de todas as atividades proporcionando vida com Deus, individual e coletiva por meio da adoração servindo a Deus com maturidade, fé e comunhão.

VALORIZAÇÃO DAS PESSOAS ACIMA DA INSTITUIÇÃO

Cada pessoa foi criada à imagem de Deus e, portanto, merece respeito e consideração como uma pessoa de valor e dignidade infinita.