Disciplinas Espirituais - Meditao

Eu amo a Palavra de Deus e tenho prazer com a sua verdade. No entanto, muitas vezes depois de ler minha Bíblia ou ouvir um sermão, a verdade, tão necessária para o bem-estar da minha alma, pode muito facilmente escapar. A verdade que tinha por um momento capturado a minha atenção e meu afeto pode tranquilamente desaparecer em meio a confusão e o ruído do dia.
Uma das melhores maneiras de resolver isso é praticar a disciplina espiritual de meditar na Palavra de Deus. É uma disciplina que leva tempo e intenção, mas que traz grande benefício para a alma. Precisamos arranjar tempo para se apoderar da verdade da Palavra de Deus.
É um paradoxo desconcertante de nossos dias em que a Bíblia pode ser tão acessível e tão marginalizada. Por um lado, a nossa tecnologia trouxe Palavra de Deus na mão, em nossos telefones e tablets e computadores e iPods. Temos acesso quase imediato a várias versões da Bíblia, bem como uma riqueza de sermões e comentários. Mas essa mesma tecnologia também ameaça para nos distrair e abafar a Palavra de Deus. Nós nos tornamos uma cultura obcecada tanto com o ruído e ao mesmo confortável com a desordem. Tantas fontes de entrada em nossas vidas: TV, rádio, notícias on-line, Facebook, Twitter .... Mais do que nunca precisamos ter tempo para meditar, para habitar na Palavra de Deus.
Durante a meditação estamos ponderando a Palavra em nossos corações, pregando-o para as nossas próprias almas, e pessoalmente aplicando para as nossas próprias vidas e circunstâncias. É assim que santificamos o nosso pensamento e trazê-lo à submissão a Cristo, levando cativo todo pensamento, como Paulo nos diz em Romanos:
‘‘Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que por meio de testes que você pode discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, agradável e perfeita.’’ - (Romanos 12: 2)
No Salmo 77 Asafe usa três verbos que capturam a essência da meditação. Quando ele encontra-se perplexo e perturbado e clama a Deus, ele determina a si mesmo para firmar sua alma vendo a Deus e lançando mão da verdade. Ele diz nos versos 11 e 12:
‘‘Eu me lembrarei das obras do SENHOR;
Sim, eu me lembrarei das tuas maravilhas da antiguidade.
Vou refletir sobre todo o seu trabalho,
E meditar sobre seus atos poderosos’’
(Salmos 77: 11-12)
Asaph usa 3 verbos no hebraico para descrever o que significa lançar mão da verdade: Ele diz: eu vou lembrar, vou ponderar, e vou meditar.
Ele começa com a lembrança (zakar) -trazer à mente "os feitos do Senhor" e suas ‘‘maravilhas da antiguidade’’. Ele intencionalmente toma nota da verdade e chama de volta em seu pensamento. Asaph reflete sobre o que Deus realizou por Seu povo no passado, eventos e épicos como o Êxodo e Páscoa, a promulgação da lei no Monte Sinai, a conquista da Terra Prometida. Ele faz um esforço para não esquecer tudo que o Senhor tem feito. 
David também fala da lembrança de Deus:
‘‘Quando eu lembro do Senhor na minha cama,
É meu meditar sobre ti nas vigílias da noite.’’ 
(Salmos 63: 6)
Em Salmos 143, quando David está sobrecarregado com problemas, ele usa os mesmos três verbos como Asafe, começando com "lembrar".
‘‘Lembro-me dos dias antigos;
Medito sobre tudo o que o Senhor tem feito;
Eu pondero o trabalho de suas mãos.’’ 
(Salmos 143: 5)
Somos um povo esquecido e Deus quer que se lembrar. A meditação começa com a lembrança, trazendo de volta em nossas mentes as verdades e os cuidados e promessas de Deus.
 
(CONTINUA)

Pr. Kenneth Puls 



VOLTAR