A grande virada

Na história recente houve diversas grandes viradas: em 1968 ocorreu a chamada Revolução Cultural; na década de 1990 houve uma virada no mundo comunista; recentemente falou-se de uma virada nos países islâmicos, a “Primavera Árabe”. A Europa enfrentou uma virada econômica e no mundo inteiro há uma virada política (“Nova Ordem Mundial”, Acordos de Lisboa, etc.). A Bíblia fala de uma virada que caracterizará a sociedade nos tempos finais. 

“Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes” (2 Tm 3.1-5; veja também Rm 1.29-32).
Quanto esse conselho é válido para os cristãos dos tempos finais, a quem Paulo se dirige aqui! Mas para a grande virada dentro da virada devemos prestar atenção a três coisas:
 
1. A entrega pessoal a Jesus Cristo
Podemos nos perguntar: “Como consigo escapar dessas circunstâncias tão negativas e destrutivas que vejo ao meu redor se eu mesmo me sinto prisioneiro do sistema que rege o mundo e me identifico com essas características dos homens dos tempos finais?” A resposta é: Podemos mudar de lado! Podemos ir para o lado certo! Dora Rappard declarou: “Não há fuga de Deus, só fuga para Deus”. Existem coisas mais importantes do que a crise financeira mundial. As pessoas não estão endividadas apenas monetariamente. Sua dívida maior é com Deus. Voltar-se para Jesus é a única forma de nos libertarmos dessa dívida. “Olhai para mim e sede salvos, vós, todos os limites da terra; porque eu sou Deus, e não há outro” (Is 45.22). Essa é a maior reviravolta que alguém pode dar.
 
2. A virada para uma nova postura de fé
Muitos cristãos ficam desanimados com os acontecimentos à sua volta. Vivem com uma visão muito estreita do que Deus quer fazer e pode fazer. Olham para a sociedade e para os eventos do mundo de forma excessivamente negativa. Não podemos mudar as coisas, mas podemos mudar nossa postura diante do que acontece. Em um mundo cada vez mais destrutivo, espiritualmente falando, deveríamos ser cristãos construtivos e pró-ativos. Para os crentes espirituais existe uma resposta às circunstâncias anticristãs que vão crescendo e tentando nos sufocar: “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento” (Fp 4.8).
 
3. A grande virada será a volta de Cristo
Não são as crises espirituais ou políticas, muito menos as econômicas, que falam a palavra final; elas apenas confirmam o quanto a Bíblia é confiável. A palavra final, em todos os assuntos, está com Jesus Cristo: “E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque essas palavras são fiéis e verdadeiras” (Ap 21.5). Em um mundo tão inseguro e pouco confiável, as promessas de Deus foram e continuarão sendo confiáveis e seguras. Com esse foco no Senhor e com essa visão cheia de confiança podemos viver um cristianismo autêntico, mesmo cercados por uma maré de pecado e maldade! Maranata! Jesus voltará!
 
Norbert Lieth (chamada.com.br)



VOLTAR