As Marcas de uma Igreja que Marcou o Mundo - a Igreja de Atos

     Bill Hybes em um dos seus livros pergunta: “Qual é a igreja mais importante do mundo?” É a igreja que Deus está edificando dentro de você.  

     Quais são as marcas dessa igreja que ainda hoje pode abalar o mundo? Para responder essa pergunta, precisamos olhar não para as igrejas contemporâneas, mas para a igreja mãe, para a igreja de Jerusalém no livro de Atos.
     Aquela igreja possuía algumas marcas: 
     1) Ela se reunia no templo e de casa em casa; 
     2) Ela tinha profundo compromisso com a doutrina e também uma celebração festiva; 
     3) Ela era profundamente engajada em ação social (horizontal) e também na oração (vertical); 
     4) Ela não apenas evangelizava, mas também fazia discípulos; 
     5) Ela tinha grande comunhão dentro dos muros e também a simpatia dos de fora. 
     I. UMA IGREJA QUE TEM ZELO PELA TEOLOGIA
     Deus tem compromisso com a sua Palavra. Ele tem zelo pela sua Palavra. Uma igreja fiel não pode negociar a Palavra. 
Perseverança na oração. A igreja de Jerusalém não apenas possuía uma boa teologia da oração, mas efetivamente orava. Ela dependia mais de Deus do que dos seus próprios recursos. A igreja hoje fala de oração, mas não ora.
     Havia temor de Deus na igreja. Hoje as pessoas estão acostumadas com o sagrado. Há uma banalização do sagrado. Há uma saturação, comercialização e paganização das coisas de Deus 
Quem conhece a santidade de Deus não brinca com as coisas de Deus. Havia presença da intervenção extraordinária de Deus. Hoje há dois extremos na igreja: aqueles que negam os milagres e aqueles que inventam os milagres.
     II. UMA IGREJA QUE TEM ENTUSIASMO NO CULTO
     A igreja tinha prazer de estar na Casa de Deus. O culto era agradável. Eles amavam a Casa de Deus. Uma igreja viva tem alegria em estar na Casa de Deus para adorar. A comunhão no templo é uma das marcas da igreja ao longo dos séculos. O louvor da igreja era constante.
     Uma igreja alegre, canta. Os muçulmanos são mais de um bilhão. Eles não cantam. Uma igreja viva tem um louvor fervoroso, contagiante, restaurador, sincero, verdadeiro. O louvor que agrada a Deus tem sua origem em Deus, tem seu propósito de exaltar a Deus e como resultado produz quebrantamento nos corações.
     A igreja transbordava de alegria independente das circunstâncias. Os apóstolos são açoitados pelo sinédrio e retiraram-se regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas pelo nome de Jesus; Estêvão na hora da morte vê a Jesus e seu rosto transfigura-se como rosto de anjo; os discípulos em Antioquia da Pisídia, mesmo perseguidos, transbordavam de alegria e do Espírito Santo. Uma igreja que mistura o sofrimento com adoração.
     III. UMA IGREJA QUE VALORIZA A COMUNHÃO
     Os crentes tinham prazer de estar juntos “onde desce o óleo do Espírito, aí há união entre os irmãos; aí ordena o Senhor a sua bênção e a vida para sempre” (Sl 133). Cessam as brigas, as contendas; brota o perdão e a cura.Todos estavam juntos. Partiam pão de casa em casa. Eles se reuniam no templo e também nos lares.
     Os crentes eram sensíveis para ajudar os necessitados. Os crentes converteram o coração e o bolso tinham desapego dos bens e apego às pessoas. Encarnaram a graça da contribuição. Quem não ama a seu irmão, não pode amar a Deus.
     IV. UMA IGREJA QUE PRODUZ IMPACTO NA SOCIEDADE
     Pelo seu estilo de vida contava com a simpatia de todo o povo. A igreja era comprometida com a verdade, mas não legalista;  era santa, mas não farisaica;  era piedosa, mas não com santorronice; os crentes eram alegres, festivos, íntegros. Eles contagiavam. 
     O estilo de vida da igreja impactava a sociedade: melhores maridos, melhores esposas, melhores filhos, melhores pais, melhores estudantes, melhores profissionais.
     Pela ação soberana de Deus, experimentava um crescimento numérico diário.
     Ricken Warren disse que a pergunta errada é: O que eu devo fazer para a minha igreja crescer? A pergunta certa: O que está impedindo a minha igreja de crescer.
     Nossa igreja tem feito diferença na nossa cidade? No nosso Estado e no País?
     Que Deus nos ajude a ser uma igreja que produza impacto no meio em que vivemos!
 
     Baseado em texto de Hernandes Dias Lopes. 



VOLTAR