Histórico

I Corintios 3:5-7

 

“Pois, quem é Paulo, e quem é Apolo, senão ministros pelos quais crestes, e conforme o que o SENHOR deu a cada um?

 

- Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento”.

 

 

Em 24 de junho de 1967 às 19h30min no salão alugado sito a Rua Dr. Antenor Soares Gandra, nº 1056 no Bairro da Colônia, foi constituído o Concílio examinatório para organização da Igreja Batista Memorial o Pastor Egídio Gióia. Na ocasião pregou no sermão intitulado “O que é uma Igreja” baseada no texto de Mateus 16:13-19, tendo como presidente da nova Igreja o irmão Demétrio Chepuck onde ficou a frente da Igreja até 22 de junho de 1968.

 

 

Após isto sucedeu a frente desta igreja os seguintes irmãos:

• Pastor Teovils Purens de 22/06/1968 a 04/04/1971

• Pastor Tonmie Byron Harbin de 04/04/1971 -14/04/1973

• Pastor Bruno Torelli de 14/04/1973 -03/11/1979

• Pastor Edson Plaza de 03/11/1979 08/03/1981

• Pastor Jonas Silva de 14/06/1981 -12/12/1981 ( Interino)

• Pastor Luiz De Marchi de 12/12/1981-20/03/1983

• Irmão Florindo Rustici de 20/03/1983 31/12/1984

• Pastor Paul Stouffer de 31/12/1984 -18/01/1987 ( Interino)

• Pastor Ed Renee Kivitz de 18/01/1987 17/01/1989

• Pastor Marcos Flores de 17/01/1989- 19/01/1990

• Pastor Ezequiel Messias do Nascimento de 19/01/1991 23/11/1994

• Mario Augusto de Andrade de 23/11/1994 06/01/1996 (Interino)

 

 

As igrejas batistas existem, mundialmente, com o propósito principal de espalhar a Palavra de Deus entre os homens. Nada maisnatural, portanto, que também no Brasil as comunidades batistas, existentes desde 1871, também se comportem como agentes multiplicadoras do corpo de Cristo.

 

Foi no ano de 1902 que Jundiaí viu nascer sua Primeira Igreja Batista, no centro da cidade. Dois anos depois, Jundiaí já podia sediar a primeira reunião da União Batista Paulistana, para tratar da expansão regional, algo que não parou desde então.

 

No entanto, em 1966, por conta da influência do movimento pentecostal norte-americano, ocorreu a maior divisão histórica dentro da denominação batista: 52 igrejas foram desaroladas da Convenção Batista Brasileira, entre elas a Primeira Igreja da cidade.

 

Por causa disso, a Segunda Igreja Batista de Jundiaí, no bairro da Vila Progresso, passou a adotar o nome de Igreja Batista Boas Novas – mas não interrompeu seu processo de “espalhamento” do evangelho.

 

Vindo de lá, um grupo de 35 irmãos passou a se reunir semanalmente em um salão alugado na Rua Professor Antenor Soares Gandra, 1056, no bairro da Colônia. Em 24 de junho de 1967, esses irmãos se encontraram para a reunião de organização de uma nova comunidade: foi às 19h30 daquela noite, sob liderança do pastor Bruno Torelli, que foi fundada a Igreja Batista Memorial de Jundiaí.

 

No final de 1970, a fé daquele pequeno grupo de irmãos o motivou a assumir a primeira de dezesseis parcelas com as quais adquiriram o terreno sobre o qual a igreja ergueu seu templo definitivo. Com alegrias em meio às dificuldades, com aprendizado em meio a erros e acertos, a comunidade foi crescendo proporcionalmente às paredes sendo erguidas, no número 485 da mesma rua.

 

A Igreja Batista Memorial de Jundiaí entrou no século 21 com um confortável templo para 650 visitantes, um acampamento próprio na cidade de Campo Limpo Paulista e, o mais importante, centenas de famílias alcançadas pelo evangelho.

 

Nessa trajetória, a igreja deixou sua marca passando adiante a lição aprendida com aqueles primeiros irmãos. Algumas sementes plantadas pela IBMJ hoje são igrejas como a Igreja Batista Nova Aliança, no Parque Eloy Chaves, ou a Igreja Batista do Redentor, no Jardim Tamoio, e a Igreja Batista Vida Nova no bairro Morada das Vinhas, onde ocorre também um trabalho social junto a jovens carentes.

 

Sob a liderança do pastor Aderson Alves Cardoso desde janeiro de 1996, a Igreja Batista Memorial de Jundiaí tem ganho almas para Cristo graças a sua dinâmica visão de equipe ministerial. Em cada um desses ministérios e pequenos grupos, seus membros podem desenvolver seus dons da forma mais apropriada. Do ministério de casais ao de jovens, à programação para crianças, a IBMJ é planejada para alcançar toda a família e, assim, ganhar Jundiaí para Cristo.



VOLTAR